Geosoft Talk

Inversão do vetor de magnetização, com e sem o uso de vínculo geológico, nas regiões de Araxá...

August 5, 2015
16:35 - 17:00
Centro de Convenções SulAmerica
Rio de Janeiro, Brasil | Website

 

Marque no seu calendário a apresentação do paper, Inversão do vetor de magnetização, com e sem o uso de vínculo geológico, nas regiões de Araxá e Tapira, Minas Gerais – Brasil, por Diego Barbosa – Analista Técnico na Geosoft Latinoamerica Ltda. Essa apresentação será realizada no CISBGf 2015. Para ver a lista completa de atividades que a Geosoft realizará durante esse congresso visite nossa página sobre o CISBGf 2015

Introdução

Os trabalhos de modelagem são um desafio em termos de confiabilidade. Isso se deve à grande variedade de resultados obtidos a partir dos dados geofísicos e à complexidade geológica das áreas investigadas. Tratando-se de dados magnéticos ainda há um desafio maior, que é a magnetização remanescente.

Do ponto de vista geológico, rochas intrusivas alcalinas possuem características físicas e mineralógicas relacionadas à sua composição e origem que as diferenciam do ambiente encaixante em termos de anomalias magnéticas, decorrentes de contrastes de susceptibilidade. Na região centro-oeste do Estado de Minas Gerais ocorrem dois complexos intrusivos alcalino-carbonatíticos (CAC): o CAC de Araxá, ao sul do município de Araxá, e o CAC de Tapira, localizado na cidade homônima (fig. 1). Uma vez que o sinal magnético observado nessas duas regiões está diretamente relacionado aos limites dos corpos intrusivos, a inversão geofísica, com o auxílio da modelagem geológica, pode ser empregada para mapear tais corpos e elaborar um modelo a partir deste sinal.

Back to top